quinta-feira, 17 de junho de 2010

Uma outra volta às aulas

cronica deficiente fenix Caros, leitores e amigos, é com alegria que volto a escrever. Realmente a gripe me foi muito prejudicial e, por mais que não queira admitir, com ela percebi ainda mais o quanto estou debilitado após 21 anos de lesão. A fragilidade do corpo entra em conflito com as vontades da mente e admitir fraqueza pode ser grande virtude.

Respiração tranquila após dias de tensa gripe que impediam a ida para a cadeira.

Agora posso voltar às aulas de Técnico em Informática com liberdade e corrida para não reprovar, pois este é o último semestre.

No post “Volta às aulas”, tive a oportunidade de relatar, descrever situações bem constrangedoras quanto à inclusão e minha vontade de estudar, agora, posso alegremente relatar o oposto, relatar o quanto os professores e coordenação de onde estudo foram compreensíveis e solidários comigo.

Quando percebi que demoraria um pouco mais para me recuperar escrevi aos meus professores explicando exatamente como eu estava e até por conhecê-los sabia que me ajudariam. Foram muitas faltas que levaram a perda importante de conteúdo, mas teve uma recepção de professor que resumo para todos.

No dia em que retornei, os companheiros de sala foram muito receptíveis e incentivavam minha permanência. Logo após esta aula fui conversar com um dos professores sobre como repor o tempo, a matéria perdida e ele primeiro me abraçou e perguntou se eu realmente estava bem. Diante de resposta afirmativa, ele – professor – apenas me disse para não me preocupar, que compreendia o que havia ocorrido e que eu seria ajudado.

Essas atitudes vieram de pessoas cuja preocupação com o ensino se mostrou exemplar. Não por ser comigo. Não por eu ser deficiente e sim por eu ser plenamente capaz.

Os dias não serão fáceis até a formatura, mas... Se forem fáceis não será conquista, será passatempo e meu tempo é precioso; o tempo de meu amigo que me leva todos os dias para a escola também é precioso, assim como precioso é o tempo que minha mãe dispõe para acordar cedo e deixar-me pronto para estudar e, para finalizar, enalteço a preciosidade do tempo dos verdadeiros mestres.

Assim agradeço aos professores da Escola Técnica de Ceilândia DF.

Até a próxima!

Angelo Márcio.

10 comentários:

ONG ALERTA disse...

As conquistas de nossa vida nem sempre são confortáveis...pricisamos lutar para chegar ao fim , paz.
Um abraço Lisette

www.pessoacomdeficiencia.com disse...

Acredito que não estamos nesta vida por acaso, é importante existirem pessoas como você pra que outras pessoas futuramente encontre menos dificuldades na vida.
Por onde passamos vamos abrindo portas algumes se fecham mais outras ficam abertas eternamente.
Parabens.

Wanderley Marques de Assis
www.wanderleydeassis.blogspot.com
www.pessoacomdeficiencia.com

Eduardo Jorge disse...

Angelo, eu realmente sinto o mesmo, quando me deparo com minhas reais vulnerabilidades. Sinto-me capaz de tudo ultrapassar que nem me lembro das minhas limitações. Quando elas aparecem caio em mim e a realidade surge.
Fico tão desanimado nessas alturas...

Boa sorte para teu curso e que gripe não volte.

Fica bem.

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Sua força de vontade é muito grande, Angelo. Seus sonhos e objetivos renovam suas forças e dão ânimo para seguir em frente...Continue estudando com garra e determinação e certamente terá muitas vitórias pela frente.

Fico feliz com a boa recepção que teve de seus professores e companheiros de sala.

Abraços, meu amigo!

Angelo Márcio disse...

oi, Lisette.
Sem dúvidas que nem sempre são confortáveis, mas a melhor parte é que ainda existem conquistas nessa luta da vida.
Obrigado pela visita.

Angelo

Angelo Márcio disse...

Obrigado, Wanderley, e uma das grandes alegrias desta vida é realmente ter a possibilidade de poder abrir ou iniciar caminhos para quem virá depois.
Certamente não estamos aqui por acaso. Há muito a se viver e aprender.
Abraço e seja sempre bem-vindo
Angelo

Angelo Márcio disse...

Realmente, mesmo cientes de nossas capacidades não somos super-herois e o desânimo, às vezes, é muito cruel.
Ainda bem que conseguimos superar o desânimo, Eduardo, e continuamos a buscar desafios.
Abração

Angelo Márcio disse...

Às vezes, Vera, a força de vontade é tamanha que me pego tentando fazer coisas que nem consigo.
Assim com às vezes vem um desânimo...
Mas passa.
Com certeza continuarei estudando, pois se eu parar creio que ficarei meio pra baixo, (nao consigo ficar parado) rsrs
Abração

ONG ALERTA disse...

Lembra nos traçamos a nossa vida, nunca desista, paz.
Beijo Lisette

Angelo Márcio disse...

Farei de tudo para não desistir.
Beijo

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...