sexta-feira, 5 de março de 2010

“Não vou me adaptar”

muralha_de_pedra Liberdade!

Com este brado é fatídico que haja sim esta aclamda  liberdade e, por mais estranho que pareça, a repressão tem poder para vir ao nosso encalço de formas diversas concebíveis ou não.

E é com este início de dualidade que remeto minhas palavras aos anos 80.

Que maravilha de década! Não há razões suficientes, nem tão pouco argumentos como “o que já passou, passou” ou “quem vive de passado é museu” que me impeça de reviver estes dias... “Dias de Luta”.

Pode até parecer que o que virá a seguir seja chamado de mais um “refrão de bolero”, mas naquela década o “tédio” era nada mais do que um passa tento e sim, posso dizer que “há tempos” que ansiamos seu retorno com este brado: _ “Volta pra mim”!

Fique claro que eu não era nenhum “rebelde sem causa” em uma “terra de gigantes” e “ainda é cedo” para afirmar que voltar ao passado é voltar a sofrer, mas a cada amanhecer, a cada “alvorada voraz” posso e digo a mim e outros que a batalha continua, que somos “soldados” e não um “exército de um homem só”.

Agora um breve e dicícil relato..

Aos quinze anos, no ano de 1988, a beleza dos dias passavam despercebidas na mente de um jovem. Passavam também as paixões, angústias, dúvidas e certezas incertas inerentes a quem tem pouca idade.

Este jovem era atleta, louco por voleibol, sempre disposto a treinar e jogar; era apegado à família e, é claro, sempre tinha alguém por quem se apaixonar e, meus amigos, este era e sou eu.

Era porque muito mudou e aqui enfatizo a liberdade total. Uma irresponsabilidade saudável que, hoje, levou-me usar neste texto, entre aspas, títulos de muitas músicas que ouvi e ainda ouço, pois a qualidade musical atual em muito perde para a musicalidade rebelde e cheia de questões da década de 80.

_ Ô saudade de um show da Legião Urbana!

Enfim, sou eu porque a batalha pela vida e suas graças continuam e, para celebração incansável, continuei e continuo me apaixonando e por assim ser ainda surgiu algo ruim.

A parte ruim foi me apaixonar por bela moça de olhos falantes e cabelos convidativos para afagos, pois abrasei meu medo de dizer a ela tudo o que brotava no peito como perfume raro que só pode ser apreciado em manhãs perfeitas. Ainda assim uma interlocutora se fez necessário e, após trazer ao conhecimento da bela moça o que eu em nada conseguia expressar, a resposta foi:

_ Se ele não fosse deficiente...

Aí sim houve revolta e descrença...

Que todos possam me perdoar por texto tão confuso e melancólico, mas saibam e gravem, por favor, que... NÃO DESISTI DE ME APAIXONAR!

Até a próxima!

Angelo Márcio.

CLIQUE nos nomes abaixo e ouçam as músicas no Youtube:

Não vou me adaptar (Titãs)
Dias de luta (Ira!)
Refrão de bolero (Engenheiros do Hawaii)
Tédio (Biquini Cavadão)
Há tempos (Legião Urbana)
Volta pra mim (Roupa Nova)
Terra de gigantes (Engenheiros do Hawaii)
Ainda é cedo (Legião Urbana)
Alvorada voraz (RPM)
Soldados (Legião Urbana)
Exército de um homem só (Engenheiros do Hawaii)
Rebelde sem causa (Ultraje a Rigor)

6 comentários:

Eduardo Jorge disse...

Angelo, Angelo...teus textos reportam-me para os acontecimentos que relatas de tal maneira que tenho muitas vezes a sensação que estou a conversar/ouvir-te pessoalmente.

É bom ter certeza do que gostamos. Anos 80 não me dizem muito, mas 90, sim.

Quanto aos amores...nem sei que te dizer.

Fica bem.

Angelo Márcio disse...

Meu amigo, Eduardo.
Uma grande amiga minha falou o mesmo que você e se isso ocorre é porque estamos num rumo certo.
Às vezes me questiono: Será que está bom?
Acho que esta questão ocorre com todos.

Felicidade e fortaleza sempre!

Deficiente Ciente disse...

Angelo,

Lendo seu texto e ouvindo as músicas(aproveitei os links que você colocou...rss) recordei-me
com muito saudosismo de uma época, em que realmente, como você mesmo disse, a música
brasileira tinha muito mais qualidade.
Que saudade dos Titãs daquela época! Adorava ouvir o Roupa Nova e tanto outros!
Digo a minha mãe que os tempos estão mudando, mas ela na sua grande sabedoria, diz que as pessoas é que estão mudando.
Acredito que não devemos nunca desistir de um sonho. Os sonhos e os objetivos são duas coisas
que nos mantêm vivos. Não deixe de viver e lutar por um sonho, meu amigo.
Se não for essa a paixão de sua vida, com certeza, haverá outra. Acredite nisso!

Um grande abraço!
Vera

Angelo Márcio disse...

Oi, Vera!
Ah... sou viciado em música e acho interessante quando alguém diz que "tal" música marcou.
Também tenho saudades da música Bichos Escrotos, dos Titãs, pois me vem na memória um monte de jovens pulando feito loucos - e eu no meio. rsrs
Sonhar... se sonhar fosse proíbido, Vera, eu viveria preso. E sonhando, claro. rsrs

Abração,
Angelo.

Andrea Schute disse...

Oi Angelo! Obrigado pelo comentário.
Adorei as músicas...Meus filhos dizem " aquela época q valia a pena ir á shows..." e gostam do q eu gosto, de pular feito loucos e tbm ficar tranquilinho com uma bossa nova.
Vc é uma referencia! Valeu!

Angelo Márcio disse...

Oi, Andrea!
Seus filhos são muito corretos no que dizem a respeito dos shows e se, inusitadamente, fundir-mos música com esporte, pular seria a prática esportiva e ouvir bossa nova seria o descanso.

Abração e seja sempre bem-vinda.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...